Turismo gastronômico é para os fortes

Olá comilôncios, tudo bom com vocês?

Esse é um post que deveria ter cunho gastronômico mas que eu não sei bem se terá pois euzinha arreguei. Isso mesmo, não comi boa parte dos pratos que vocês verão a seguir.

Todos sabemos que provar a culinária local e voltar da viagem com 9 kg a mais é imprescindível, mas o que fazer quando aquela comida estrangeira não lhe apetece? Você põe seu companheiro de viagem para comer e te dizer como é! Foi exatamente isso que eu fiz com Sr. Fellipe, nosso analista de conteúdo comestível.

Vamos então aos pratos que não me encheram os olhos mas que certamente encheram a pança dele:

Joelho de Porco
Polônia

Imagine a cena:  Somos quatro amigos viajantes mortos de fome, entramos em um restaurante em Zakopane, na Polônia. Uma pessoa normal olharia o cardápio em Polonês e com a ajuda do Google Tradutor desvendaria o que há em cada prato. Ah, mas nós conhecemos bem Fellipe e sabemos que ele não é desses. Ele simplesmente acena para a garçonete que não fala uma palavra de inglês, aponta para a maior figura do cardápio e aguarda confiante a chegada de seu prato. Nesse momento eu já antecipo que virá um pedaço de mamífero não identificado e  peço uma batata polonesa impronunciável.

Eis que chega o tão aguardado prato: um joelho de porco de Itu que facilmente serviria uma família de 9 pessoas. Fellipe no auge de sua gulodice jura que vai comê-lo sozinho. 30 minutos depois vemos o pobrezinho suando debruçado em cima do osso de dinossauro. 🦕

Esquiar na Polônia
Golonka é o seu nome.

Assim, Fellipe prestigiou a proteína mais popular da culinária polonesa: o porco. 🐷 O suíno foi herdado das influências alemãs, húngaras, austríacas e russas na Polônia. Isso quer dizer que além do joelho, há um milhão de embutidos de porcolino. #dispenso

Ora vegetarianos, não se irritem! Há opções para nós  que não comemos mamíferos porque são fofos também. O pierogi foi o meu prato favorito. Ele é um ravióli de batata que tem os mais diversos recheios. O pierogi ruskie é a versão vegetariana recheada com queijo cottage e que só de escrever já me dá água na boca. #quero

Se encontrá-lo em um supermercado polonês, compre!

No fim das contas eu amei tudo o que comi na Polônia mesmo não lembrando o nome de metade dos pratos. Gostaria de se aventurar por lá? Veja aqui o que fazer na Polônia .

Escargot
França

Afe, mais um clássico que eu deveria ter provado mas não, obrigada. Adoraria ser aquele cara da TV a cabo que come espetinho de barata como se fosse camarão🦐 – apesar de que dizem que o camarão é a barata do mar…mas essa é outra discussão.

Pois bem, chegamos à França e já fomos direto comer o crepe mais maravilhoso de Paris, falei dele nesse post. Juntamente com os mexilhões cremosos ao vinho branco (não sei o nome em francês) foram os pratos mais deliciosas que comi nessa viagem.

Essa foto não é minha pois devorei meu crepe em 2 min. Créditos: Au P’tit Grec
O comilôncio e o escargot.

E o escargot? Depois de bater perna pela cidade luz fomos à prova do icônico escargot. 🐌 Quem lê esse post pensa que eu sou a rainha da frescura mas a minha questão é que não como mamíferos nem aves, apenas peixes e frutos do mar. É o que os xóvens de hoje em dia chamam de peixetariano e eu não chamo de nada pois não acho que toda dieta tenha que ter um nome.

Pois bem, na minha cabeça ainda não sabia como classificar o caracol. 🤨 Rolou aquela dúvida cruel: como ou não como? Olhei pra eles, eles olharam pra mim e aí sabíamos que nossa relação não teria futuro. Poderia ser uma letra de pagode, inclusive. Já a relação do Fellipe com os escargots promete durar muitos anos. #bodasdecaracol

Mas porque o escargot é tão valorizado? Primeiramente o gosmento aí leva 9 meses para chegar em um tamanho comestível. Além disso a taxa de mortalidade desse bicho é altíssima, quem diria! Aqueles que de fato chegam à vida adulta são deixados de jejum 12h antes do abate para que não haja 💩 dentro deles. Com essa frescuragem toda o bicho encarece, né?

Não satisfeito ele é hermafrodita e faz uma cúpula simultânea com ambos os órgãos reprodutores que pode durar até 12h – o que é totalmente irrelevante para esse post mas tinha que dividir essa descoberta com alguém. Sério? 12h de vuco-vuco? #choquei

Veja aqui as principais atrações francesas que não incluem escargot.

Coelho
Malta

Eu já comi coelho há muitos anos atrás, confesso. Ensopado com cenoura ainda. Que ironia, não? Quando fui à Malta descobri que era o prato tradicional maltês. Seu nome? Stuffat tal-fenek, ou guisado de coelhinho fofinho. 🐰 😢#chorei

Os coelhíneos foram levados da península ibérica para a ilha pelos Fenícios há 3600 anos direto do túnel do tempo. Os Fenícios eram nômades digitais e durante um mochilão pela Europa passaram por Malta e largaram uns coelhos lá. A ideia era sempre ter o que caçar quando retornassem à ilha. Sabendo que os coelhos são ninfomaníacos, em pouco tempo já havia mais coelho que gente (dados não confirmados). Os locais agradeceram. Fellipe também. Espia só:

Parece uma perna de gato. Havia um gato no meu hostel. Coincidência? Acho que não. 😢

Alternativas para vegetarianos incluem o maravilhoso pastizz de ervilha ou queijo cottage, bruschetta e a sopa de tomate maltesa. Para os bebuns o vinho de Malta é uma excelente escolha – sim é com você mesmo que eu estou falando.

Conheça essa ilha maravilhosa aqui.

Irish Breakfast
Irlanda (jura?)

O café da manhã mais calórico dos sete mares é composto de pão, bacon, salsicha, ovo frito, uma espécie de chouriço preto e outro branco (Irish pudding) , feijão com molho de tomate, batata e cogumelos. Tem certeza que não é almoço, quirids? #não

Sempre que vejo um prato muito peculiar como esse fico pensando de onde surgiu a tradição. No caso dos irlandeses, só poderia estar ligado à cerveja, né? Um café da manhã desses cura qualquer ressaca. 😵 A outra origem tem a ver com a hospitalidade: os irlandeses e britânicos o oferecem esse singelo prato àquelas visitas desavisadas que surgiam durante o dia, pois enche a pança e aquece qualquer friaca.

Se eu como um trem desses fico inutilizada por uma semana. Créditos: hostelbookers.

Morei na Irlanda por dois anos e não caí na tentação de provar essa orgia gastronômica. Sim, há versões vegetarianas, mas também não rolou. O que rolou entretanto foi provar um Irish Stew que é um ensopado de carne com legumes e Guinness. Eu comi dentro da Guinness Factory e fez toda a diferença. Na época eu era carnívora e não me arrependo de nada. O trem é bão mesmo!

No restaurante da Guinness há até hamburger feito com a cerveja.

Compre aqui seu ingresso para a Guinness Factory e outras atrações de Dublin:

E você? Que comida tenebrosa encarou ou evitou nas suas viagens? Tô doida pra saber!

Vai viajar? Faça suas reservas por aqui e ajude o blog a crescer!

Aquela reserva que você já faria no Booking, por exemplo, você pode fazer por aqui sem pagar nada a mais por isso – apenas para me ajudar mesmo. =D

Passagens Aéreas

Hospedagem

Pacotes de viagem

Seguro Viagem

Atrações e ingressos

Atrações no Brasil

Aluguel de carro  

Chip internacional  

Até a próxima!

RESERVE AQUI

Esse post foi útil para você? Que tal fazer as suas reservas com os parceiros do blog?

É a melhor forma de contribuir com o meu trabalho. Eu ganho uma pequena comissão e você não paga nada a mais por isso.

Obrigadaaaa! Só clicar nos ícones abaixo – e ainda aproveitar descontos exclusivos para você, que apoia o blog.

PLANILHA GRATUITA

CURSO DE PLANEJAMENTO DE VIAGEM

Planeje sua viagem em 8 passos e economize até 70%.

Conheça o passo a passo usado por centenas de viajantes para fugir de ciladas turísticas, parar de jogar dinheiro fora e fazer uma viagem autêntica e confortável para qualquer lugar do mundo.

REDES SOCIAIS


Mari Neubra é especialista em Planejamento de Viagem e criadora do Plano V. Pesquisa e produz conteúdo de viagem para a internet desde 2016. Já ajudou milhares de viajantes a ganharem o mundo com confiança e controle financeiro. O Plano V reúne estratégias testadas ao longo desses anos em mais de 25 países.