Como fazer um roteiro de viagem na Europa super barato

Nesse post ensinarei estratégias que te ajudarão a fazer um roteiro de viagem na Europa super barato. Você pisou na Europa e quer saber como fazer seu dinheiro render mais?  Acompanhe o post e confira as dicas para a sua Eurotrip!

1 – Faça um bom uso do seu cartão de crédito internacional na Europa  — e do seu dinheiro!

O turista desavisado chega em um país estrangeiro e logo vai sacar dinheiro com o seu cartão internacional – e esse é o erro número 1, queridos.

Esse cartão serve para em emergências ou para o aluguel de um carro, por exemplo.

E para saques e compras aleatórias? Não! Só de pensar em sacar dinheiro na Europa com o cartão de crédito internacional me dá até palpitação!

Se, ao fazer compras, você sair por aí passando o seu cartão de crédito internacional, sabe o que vai acontecer? Você não terá controle dos gastos na sua viagem, pois estará lidando com um IOF de 6,38%, que é o mais alto. Já em outras transações, as taxas de IOF são de 0,38% e 1,1%, por exemplo.

Dessa forma, é sempre mais interessante escolher operações com taxas menores, a não ser que você esteja bem loucão e queira rasgar dinheiro.

E é esse tipo de análise matemática e financeira que é importante saber fazer, ao invés de usar o cartão de crédito internacional por toda parte.

Pegue papel e caneta e calcule!

Faça as contas e veja exatamente quanto de IOF você paga em cada transação para não jogar dinheiro fora. Por falar nisso, uma das formas de pagar a mais sem necessidade é utilizar o caixa eletrônico turístico, tipo esses da EuroNet.

 

Usando o cartão de crédito internacional nele, a máquina te obriga a sacar valores mais altos com uma péssima conversão, e quanto mais você saca, melhor para quem? Para você? Não, para a máquina! Essa danada te força a sacar valores que você nem mesmo precisa. 

Essas máquinas oferecem, geralmente, duas formas de conversão:

  • Com conversão significa que o banco ou empresa que opera os caixas eletrônicos faz a conversão;
  • Sem conversão significa que seu banco ou operadora de cartão de crédito faz a conversão.

Isso quer dizer que independente do que você escolha, vai ser aplicada uma taxa de câmbio.  E este é o ponto: os operadores de caixas eletrônicos tendem a aplicar taxas altíssimas.

Além disso, há uma taxa por transação, que às vezes chega a 5 euros. Ou seja, em apenas um mísero saque, você joga fora cerca de 30% do seu dinheiro. E se você faz isso várias vezes durante a viagem, lascou-se três vezes mais.

Sabendo disso, ao viajar pela Europa, encontrou um caixa eletrônico desses turísticos piscando pelo caminho? Foge! 

Você deve estar se perguntando “Mari, se eu não posso sacar o meu dinheiro no exterior nesses caixas, o que eu faço?”

  1. É importante trazer um cartão de débito internacional como o Wise, por exemplo, e não um apenas um cartão de crédito;
  2. Ao invés de sacar nessas máquinas, o ideal é passar o seu cartão de débito internacional sempre que possível;
  3. Trazer uma quantia pequena em dinheiro ou sacar com o cartão de débito internacional caso seja necessário pagar em espécie.

Já usar o cartão de crédito internacional em caixa eletrônico… esquece!

Ainda não tem um cartão de débito internacional? Clique aqui e peça o seu Wise. Já usei o meu em mais de 25 países e recomendo fortemente.

2 – Aprenda a comer barato em uma viagem na Europa

Apresento aqui uma estratégia muito interessante para economizar cerca de 90% em um item muito importante de um roteiro de viagem barato, que é aquele momento de encher o bucho, a hora da alimentação. Acho que a maioria das pessoas fica mal-humorada quando está com fome, não é mesmo?

Quando estamos em lugar desconhecido e não sabemos o que comer, onde achar comida e estamos com um orçamento apertado, o que fazer? Pensar fora do óbvio! 

Por causa disso, eu comecei a planejar as viagens de maneira bem detalhada, inclusive com as paradas para comer. Hoje em dia existe aplicativo para tudo, até mesmo para rastrear vários lugares bons com desconto e te ajudar a comer barato viajando.

Há um tempo atrás, descobrimos um aplicativo chamado Too Good To Go, que mostra, com base na sua localização, vários restaurantes que comercializam refeições que não foram vendidas.  

Como funciona?

No Too Good To Go, existem vários filtros para selecionar o tipo de estabelecimento desejado, como os que servem lanches, almoço ou jantar, por exemplo, além da possibilidade de escolher um horário para coletar a comida.

E quais são essas refeições? São pratos que sobraram e não foram vendidos e que, por questões de leis e normas da cidade, seriam jogados no lixo e são repassados ao consumidor por um valor bem abaixo do normal. 

Essa estratégia é bacana para quem está em alguma capital na Europa. Quando se está turistando e o horário de almoço se aproxima, basta abrir o aplicativo e seguir os passos abaixo:

  1. Selecionar um intervalo de tempo, como o horário de almoço ou jantar;
  2. Conferir quais restaurantes estão disponíveis;
  3. Escolher um estabelecimento, seja ele restaurante, hotel ou mercado;
  4. Selecionar seu pedido e conferir o horário de retirada;
  5. Pagar e finalizar.

Mas atenção: o conteúdo da caixa é surpresa e não pode ser escolhido, então os itens podem incluir desde lanches, legumes e até refeições mais completas, dependendo do estabelecimento. 

Assim, o ideal é pedir em horários próximos ao momento de voltar para a hospedagem, porque você se programa e leva sua refeição. Além disso, o aplicativo informa o que está disponível no dia, dentre os estabelecimentos da região, como pratos de origem chinesa, indiana, ou portuguesa, por exemplo.

São opções incríveis de restaurantes, bares e lanchonetes, um pouco de tudo, o que tem tudo a ver com a bandeira que levantamos, que é a de viajar de maneira sustentável, inteligente, econômica e autêntica.

Qual é a “desvantagem”?

Por ser uma refeição para retirada, não vem talher. Por isso, se você pedir comida, vai ter que se virar nos 30, ou então comprar um kit com talheres. Você como viajante pode ter sempre na mochila um conjunto com garfo, faca, colher, copo dobrável e guardanapos, isso te ajudará nessas situações. 

Uma dica bacana é não se empolgar no primeiro pedido, por exemplo: existem alguns restaurantes que servem pratos que rendem mais de uma refeição, já outros servem porções adequadas para uma pessoa.

Se você pediu uma única porção, gostou e ela ainda está disponível, chegue alguns minutos antes, peça mais uma e retire as duas juntas. Em outras palavras, seguir dessa forma contribui também para evitar o desperdício e o risco de retirar pratos em quantidades excessivas. 

Outro ponto interessante: em sua viagem pela Europa, não tenha vergonha de sentar em algum cantinho, alguma praça ou parque, e comer a sua marmita, porque isso é super comum por lá. Ninguém vai te chamar a atenção por causa disso e nada melhor que experimentar a vivência de um piquenique ao ar livre.

Conheça o Plano V e aprenda a montar um roteiro de viagem na Europa!

Quando falo em economizar com inteligência na hora de organizar um roteiro de viagem na Europa, é disso que eu estou falando!

Se você gostou desses pulos do gato, saiba que no Plano V existem mais de 50 aulas sobre isso, todas trabalhadas em estratégias que facilitarão o planejamento da sua viagem e te ajudarão a economizar até 70% das despesas. 

3 – Busque opções baratas de transporte para a sua Eurotrip

Outro assunto que deixa qualquer viajante baratinado é a máquina de compra de bilhetes do transporte público.

Toda grande cidade oferece muitas opções de tickets, e qual é a melhor tática? Ao chegar na cidade, é interessante adquirir o cartão de transporte local e recarregá-lo com valores que podem ser diários, semanais, mensais ou passes individuais. 

Fique atento à abrangência do seu cartão

No planejamento do seu roteiro de viagem na Europa, tenha em mente que nem sempre o cartão de transporte público que você adquirir poderá ser usado em todas as áreas da cidade. No momento da recarga, a máquina informa em quais regiões aquele bilhete é válido.

Caso você esteja em algum país cujo idioma você não domine, use o tradutor para confirmar se o cartão realmente será útil para a sua viagem, seja nas rotas ou nos meios de transporte escolhidos.

Mas qual é o ideal? Antes de viajar, consulte o site da prefeitura da cidade e confira os trajetos a serem percorridos e os valores que você precisará desembolsar para saber qual bilhete vale mais a pena para o que você procura.

Por isso a importância de aprender a fazer um bom roteiro de viagem na Europa. Se organizando com antecedência, é possível saber quanto tempo será dedicado para aquela cidade, quais lugares serão visitados e quais as melhores opções de transporte. 

Esse tipo de gerenciamento você encontra no Plano V! Sem planejamento, você pensa “vou andar bem livre pela cidade”. Nesse processo você paga 2 euros em uma passagem de ônibus que custaria 1,50 euro por exemplo, gastos que são evitáveis. Com um pouquinho a mais de

dedicação, você faz um roteiro de viagem na Europa com sabedoria e aproveita muito mais os seus passeios.

4 – Fique atento aos dias de visita gratuita aos museus e atrações na Europa

Nossa última estratégia para te ajudar a economizar seu rico dinheirinho ao viajar pela Europa é sobre as idas às atrações históricas. Na maioria dos monumentos, existe um dia em que a visita é gratuita, seja no domingo, na segunda, ou em algum dia específico do mês. 

Alguns deles são gratuitos apenas para os residentes da cidade e outros são gratuitos para turistas em geral. Nesse caso, o que fazer? Durante o planejamento do seu roteiro de viagem na Europa, organize a viagem para visitar as regiões da cidade no período em que determinada atração tenha visita gratuita.

Na Europa, alguns monumentos podem cobrar cerca de 12, 15 ou 17 euros em média para a entrada. Portanto, pense estrategicamente para economizar ao máximo na sua viagem como um todo. 

Compre ingressos fura-fila

Em todo o caso, se você quer muito visitar um museu ou monumento na Europa, compre seu bilhete fura-fila com antecedência, pelo amor da Deusa. Ninguém merece ficar 2 horas na fila da torre Eiffel, né?

Recomendo que você clique aqui e compre seus ingressos para atrações e museus pelo GetYourGuide, pois tem a confirmação imediata, opção fura-fila e  você já fica com o ingresso no seu celular.

E sabe o que pode te ajudar na organização da sua viagem? O Plano V, um método de planejamento no qual o viajante prepara toda a sua trip usando o seu dinheiro e tempo disponíveis.

No Plano V você encontra tudo o que precisa para fazer uma viagem barata, autêntica, personalizada, maravilhosa e com todo o suporte da Viajante Sincera! Ou seja, ao fazer este treinamento, você será capaz de viajar para qualquer lugar do mundo sem passar perrengue.

Quer ver como tudo isso funciona na prática? Confira no vídeo abaixo: 

RESERVE AQUI

Esse post foi útil para você? Que tal fazer as suas reservas com os parceiros do blog?

É a melhor forma de contribuir com o meu trabalho. Eu ganho uma pequena comissão e você não paga nada a mais por isso.

Obrigadaaaa! Só clicar nos ícones abaixo – e ainda aproveitar descontos exclusivos para você, que apoia o blog.

PLANILHA GRATUITA

CURSO DE PLANEJAMENTO DE VIAGEM

Planeje sua viagem em 8 passos e economize até 70%.

Conheça o passo a passo usado por centenas de viajantes para fugir de ciladas turísticas, parar de jogar dinheiro fora e fazer uma viagem autêntica e confortável para qualquer lugar do mundo.

REDES SOCIAIS


Mari Neubra é especialista em Planejamento de Viagem e criadora do Plano V. Pesquisa e produz conteúdo de viagem para a internet desde 2016. Já ajudou milhares de viajantes a ganharem o mundo com confiança e controle financeiro. O Plano V reúne estratégias testadas ao longo desses anos em mais de 25 países.