O essencial de Bruxelas, Bélgica: dicas e um roteiro completo!

A capital Belga é um dos destinos mais baratos na Europa em termos de passagens aéreas. Há voos saindo de Londres, Dublin e Paris para Bruxelas por apenas 30€. É bom ou não é? Quem me acompanha no Instagram (@viajantesincera) sabe que eu vivo andando atrás dessas passagens. E foi justamente assim que eu fui parar na Bélgica.

Onde ficar em Bruxelas

Se você também está planejando uma viagem pra lá e não sabe onde ficar em Bruxelas tenho mais uma boa notícia: há muita opção de hotéis e hostels com aquele preço amigo que o viajante pão duro adooooora. Eu fiquei no Meininger Hotel Brussel City Center e amei. Ele tem quartos privados e compartilhados e um ambiente super descolado para você que quer se sentir xóven.

Olha só essa lista do Booking com hospedagens boas, bonitas e baratas em Bruxelas:

Citadines Sainte Catherine Brussels Aparthotel
Aris Grand Place Hotel 
 Motel One Brussels
Hotel des Galeries

O que fazer em Bruxelas, Bélgica

O que fazer em Bruxelas, Belgica

Vamos então enumerar alguns motivos para visitar a cidade  e os principais pontos turísticos de Bruxelas. Anota aí!

1. Experimentar a Culinária Belga

Entre ver os monumentos ou comer desesperadamente, 15 a cada 10 turistas preferem comer de-ses-pe-ra-da-men-te. Os maiores atrativos da cidade incluem o chocolate (Gezzzzuis!), o waffle, a batata frita e a cerveja belga.

A batata frita foi, inclusive, inventada nesta cidade, pasmem! O aeroporto de Bruxelas é nada menos que o maior ponto de venda de chocolate do mundo! Já visualizo os turistas desesperados enfiando caixa de chocolate na mala que já está abarrotada.

Falando em exageros, em Bruxelas há 138 restaurantes por metro quadrado, ou seja, você dá dois passos e surge um garçom te mostrando um menu. Detalhe: os garçons vão trocando de idioma até adivinhar de onde você é e aceitar a oferta dele (chato, porém poliglota). Marque seu amigo comilão que vai querer uma amizade sincera com esse garçom.

Com tanta opção de comilança a pessoa fica doida, por isso a minha recomendação é você se jogar em um tour gastronômico com um guia local e comer com a devida propriedade. Olha só que maravilha esses tours: #quero

2. Encontrar o Manneken Pis

A estátua do molequinho mijão é a atração mais “nada-a-ver” da Bélgica, quiçá de toda a Europa. Se você piscar passa despercebido por ele que mede só 61 cm de altura.

Por isso mesmo acharam um jeito de torná-lo mais interessante: começaram a vestir o danado do moleque de acordo com algumas datas comemorativas. O resultado é hilário (e o pintinho continua de fora). São 900 trajes que compõem um guarda-roupa maior que o meu e o seu. #recalque Você pode acompanhar o calendário das trocas de roupa aqui.

3. Nadar na piscina mais profunda do mundo

Pasmem! A Nemo 33 foi, até 2014, a piscina coberta mais profunda do mundo (e ninguém sabia disso).

A piscina de Itu atrai mergulhadores que preferem praticar em suas cavernas artificiais do que no mar azul. Afinal não tem tubarão, nem arraia pra dar rasteira, nem ouriço pra espetar, nem água viva pra dar aquela queimadura de primeiro grau… ou seja, não tem a menor graça.

Se a gente não sabia o que fazer em Bruxelas com chuva, por exemplo, agora já temos uma opção.

Vamos fingir que uma dessas sereias sou eu.

4. Conhecer o shopping mais velho do mundo

A Galeria St Hubert, de 1847 é a galeria coberta (vulgo shopping) mais antiga da Europa.

Faça aqui fotos princesas.

Eu tenho minhas desconfianças porque em toda capital que visito ouço alguém dizer: “Esse é o restaurante mais velho…”, “Esse é o bar mais velho…”, “Essa é a igreja mais velha…”. Ok, ok, já entendemos, na Europa é tudo velho, mas só acredito vendo a placa de recorde do Guinness.

5. Fotografar em frente ao Palácio Real de Bruxelas

O Palácio Real de Bruxelas é igualzinho ao puxadinho da realeza britânica, casa de Lilibeth, vulgo Buckingham Palace. Ele possui entretanto uma fachada 50% maior só de raiva. #arrasane

Inshalá esse portão do Palácio Real.

Pode ser visitado algumas vezes ao ano. Não visitei porque já estava cansada de tanto andar (as avenidas são muito longas) e não sou obrigada. Isso não quer dizer que eu deixei de fazer foto na porta. 😂

6. Tomar umas no bar da Delirium

“Eu bebo sim, estou vivendo….” Seria o lema belga? Talvez, quirids. A gana pela cerveja belga definitivamente alavanca o turismo em Bruxelas. São mais de 1.100 marcas locais. O povo viaja do mundo inteiro para visitar os pubs e cervejarias da cidade. #tudocachaceiro

Falando novamente em recorde, o Delirium Café é o pub recordista de rótulos com 3000 títulos pra jogo. Mas ninguém se importa e acaba pedindo a Delirium Tremmens que é a melhor cerveja do mundo. #amo

7. Visitar o Atomium

Precisamos falar do cartão postal da cidade, o Atomium. Ele representa um cristal elementar de ferro ampliado 165 milhões de vezes, com tubos que ligam as 9 partes formando 8 vértices. Dados coletados da Wikipédia pois sou de humanas e não saberia essas coisas – nem mesmo o que é um cristal elementar.

Inicialmente construídas para a Expo 58, as bolotas atômicas deveriam ser desmontadas mas aí deu uma preguiça…e quando viram a estrutura já tinha virado um ponto turístico. Os viajantes que só pensam em selfie agradecem.

atomium
O olhar no cansaço de quem tinha andado 15 km pela cidade em 1 dia.

Além da tradicional selfie é possível subir ao topo do Atomium e ver a cidade do alto de 102 m com a perna bamba e as mãos suando.  #nãoobrigada Se você não tem cagaço de altura como eu, compre aqui seu ingresso.

8. Conhecer a Sede da União Europeia

A cidade é a sede da União Europeia. Com um histórico de atentados, o polêmico Brexit e demais vuco-vucos políticos na Europa, instalou-se um clima de tensão generalizado que é perceptível ao visitar Bruxelas. Isso porque pra onde a gente olha há guarda armado até os dentes protegendo o parlamento europeu.

Passei 3 dias em Bruxelas e a situação estava bem bizarra pois havia acabado de acontecer um atentando em Paris. Pra piorar a situação os terroristas haviam sido presos a 500 m do meu hotel. 😳 Imagina o meu nível de apavoramento acompanhado de “o que eu tô fazendo aqui?” e “minha mãe vai me matar”.

Depois descobri ainda que em Bruxelas há a maior concentração de células terroristas da Europa. #çocorro Minha sugestão é: se der medo vai com medo mesmo! Se o cagaço apertar come um chocolate belga que passa – igual ao Harry Potter que combate o medo dos dementadores com chocolate, lembra? 🍫

Falando nisso: faça aqui sua cotação de seguro viagem!

9. Fotografar com a belíssima arquitetura belga

São muitos prédios, igrejas e fachadas maravilhosas. Você não precisa nem se programar, sai andando, bate foto de tudo e depois vai no Google descobrir o que é. Às vezes o melhor da viagem é o inesperado.

10. Ir de Bruxelas à Bruges

Pensem em um lugar fofíneo, com sabor de chocolate, cheiro de terra molhada…é Bruges. Ela é nada menos que uma das cidades medievais mais bem conservadas do mundo! Se você não sabe o que fazer em Bruges é só chegar lá, bater perna e se empanturrar de chocolate belga.

A bichinha é do séc XI e está mais inteira que Glória Maria. #divaviajante

Além disso ela é mais visitada do que a capital, são 3 milhões de visitantes por ano. Quer juntar-se a eles? Olha só como ir de Bruxelas à Bruges:

Trem: a passagem custa em torno de 15€ e a viagem, que é uma delícia, dura 1 h.

Transfer + visita guiada: uma ótima opção para quem quer mergulhar na história e pegar as melhores dicas de Bruges. Pela bagatela de 29€ você embarca em um tour de 9 h para conhecer a cidade de cabo a rabo. Veja mais detalhes e faça aqui a sua reserva nesse rolê.

11. Dar um pulo em Luxemburgo e Amsterdam

Enquanto eu estava em Bruxelas visitei ainda Luxemburgo e Amsterdam.

De Bruxelas para Luxemburgo eu peguei o trem, que levaria 2 horas mas que graças à uma confusão causada por um funcionário da estação com a gente, levou quase 4 horas. Uma longa história que eu conto outro dia.

Leia mais: O que fazer em Luxemburgo em 1 dia

 

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por Viajante Sincera (@viajantesincera) em

 

De Bruxelas para Amsterdam nós pegamos o MegaBus, que agora se chama Flixbus. Levou quase 3 horas e eu lembro que na época paguei 5 euros na passagem. #umabagatela

 

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por Viajante Sincera (@viajantesincera) em

 

Leia mais em O que não fazer em Amsterdam.

Então essas foram as minhas dicas belgas. Qualquer dúvida, só me chamar lá no Instagram ou deixar aqui seu comentário.

Planeje seu  roteiro para a Bélgica aqui

           

Até a próxima!

Mari

RESERVE AQUI

Esse post foi útil para você? Que tal fazer as suas reservas com os parceiros do blog?

É a melhor forma de contribuir com o meu trabalho. Eu ganho uma pequena comissão e você não paga nada a mais por isso.

Obrigadaaaa! Só clicar nos ícones abaixo – e ainda aproveitar descontos exclusivos para você, que apoia o blog.

PLANILHA GRATUITA

CURSO DE PLANEJAMENTO DE VIAGEM

Planeje sua viagem em 8 passos e economize até 70%.

Conheça o passo a passo usado por centenas de viajantes para fugir de ciladas turísticas, parar de jogar dinheiro fora e fazer uma viagem autêntica e confortável para qualquer lugar do mundo.

REDES SOCIAIS


Mari Neubra é especialista em Planejamento de Viagem e criadora do Plano V. Pesquisa e produz conteúdo de viagem para a internet desde 2016. Já ajudou milhares de viajantes a ganharem o mundo com confiança e controle financeiro. O Plano V reúne estratégias testadas ao longo desses anos em mais de 25 países.