O Carnaval de Veneza 

Sim, esse post vem carregado de recalque. Passar carnaval na Europa com zero grau, vento lateral e chuva não é bacana. Especialmente se na sua linha do tempo 152 a cada 35 pessoas postam foto de folia, praia, bronzeado e uma dose de vergonha alheia.

Contudo, não estamos aqui para falar do meu recalque, e sim do (talvez) único destino europeu cujo Carnaval tem seu encanto: Veneza.

Sabe o barracão de uma escola de samba? Então… são as ruas de Veneza. Parece que estão se preparando para a Sapucaí. Exceto que não tem desfile. Cada ruela tem micro lojas infinitas de máscaras e adereços pra você se jogar atrás do trio. Exceto que não tem trio.

Todas as lojas com uma vitrine bem básica e um convite à um ataque de rinite

O problema é que ainda que não haja um evento carnavalesco em pauta, a pessoa fica se sentindo na obrigação de comprar as benditas máscaras. É tanta opção que a gente fica atazanado entrando em todas as lojas até encontrar a aquela que fala ao coração. Dica: não percam tempo com isso. 

Eu perdendo tempo com isso

Mas não pára por aí. Quando você finalmente compra a máscara, descobre que é uma droga pra levar na mala sem quebrar e chegando em casa ela passa a decorar o fundo do seu armário.

[wpvideo dkcy85ha]

Mas vamos aos fatos históricos porque somos cultos. O carnaval de Veneza surgiu em 1162 quando os locais se reuniram para festejar a vitória da cidade que se reafirmava enquanto Estado soberano após algumas tretas. Pois bem, a Piazza San Marco ficou pequena pra tanta folia. E como folia=gente fazendo vergonha em público, um gênio adotou as máscaras pra poder pegar geral sem a esposa descobrir (dados não verificados, mas foi provavelmente o que aconteceu).

Segue o nosso registro dessa que é uma das praças mais lindas que já vi (não vi muitas).

[wpvideo dAdKUBO3]

A folia comeu solta por anos a fio até que em 1797, o Rei da Áustria, que então governava Veneza, acabou com a farra e as máscaras foram proibidas (e claro, continuaram sendo usadas na surdina). E cada tipo de máscara denotava as más intenções do indivíduo durante o baile. Observe nosso guia ex-clu-si-vo abaixo:

Quem é você numa escala de máscaras de Veneza nesse carnaval?

Apenas em 1979, o governo veneziano resolveu investir no Carnaval e desenterrar o glamour dos bailes de máscara. Desde então a cidade recebe 3 milhões de turistas nessa época do ano para 10 dias de folia.
Mas nem só de carnaval vive Veneza. Tem também as pontes que ligam as 117 ilhas do arquipélago. 


A Ponte Rialto é a mais antiga de todas, tem só 429 anos.

Os canais com cheiro de sabão em pó.

Os gondoleiros que te cobram um rim por um passeio.

Eike Batista curtindo um passeio com a gente.

Tem um clima único que te faz querer fotografar cada cantinho.

RESERVE AQUI

Esse post foi útil para você? Que tal fazer as suas reservas com os parceiros do blog?

É a melhor forma de contribuir com o meu trabalho. Eu ganho uma pequena comissão e você não paga nada a mais por isso.

Obrigadaaaa! Só clicar nos ícones abaixo – e ainda aproveitar descontos exclusivos para você, que apoia o blog.

PLANILHA GRATUITA

CURSO DE PLANEJAMENTO DE VIAGEM

Planeje sua viagem em 8 passos e economize até 70%.

Conheça o passo a passo usado por centenas de viajantes para fugir de ciladas turísticas, parar de jogar dinheiro fora e fazer uma viagem autêntica e confortável para qualquer lugar do mundo.

REDES SOCIAIS


Mari Neubra é especialista em Planejamento de Viagem e criadora do Plano V. Pesquisa e produz conteúdo de viagem para a internet desde 2016. Já ajudou milhares de viajantes a ganharem o mundo com confiança e controle financeiro. O Plano V reúne estratégias testadas ao longo desses anos em mais de 25 países.